“O radicalismo está disposto de pôr tudo em jogo, só(!) por razões ideológicas”, acabou de dizer o Paulo Portas no Jornal 2, se percebi bem, referendo-se à situacão em Grécia. “Só por razões ideológicas”!? Sim, é pouca coisa, não é!? Devem ter sido malucos os portugueses que sacrifiam a sua vida por “razōes ideológicas”, não é, Paulo Portas!?